Enquanto estamos tomados por tarefas cotidianas, hábitos de
comportamento, e valores que nos confortam e prometem paraísos,
não há espaço para o pensamento, ou ao menos para o pensamento criador.

Confundimos o pensamento não só com fantasmas, sonhos e
palavras, mas também com a inteligência cerebral que projeta. 

Então como vem o pensamento?

Qual a condição para ele aparecer e nos ocupar prioritariamente?

Eis em torno do que gira o conteúdo deste 6º episódio da
série Aprendendo a pensar: Quem pensa em nós?